Páginas

Olá a todos..... Primeiramente obrigado pela visita ao blog, que possa contribuir de alguma maneira para o conhecimento de todos. Objetivo é falar um pouco de algumas patologias neurológicas e tratamentos fisioterapêuticos. Alguns texto foram retirado dá própria web. Toda críticas e elogios serão bem vindo! Obrigado, e boa leitura... "Conhecimento guardado é conhecimento morto"

Síndrome de Guillain-Barré

Introdução

A Síndrome de Guillain-Barré é uma doença rara na qual os nervos periféricos se deterioram. Estes nervos enviam mensagens do cérebro para os músculos, instruindo-os a se moverem, e também levam sensações como a dor, prazer, gosto, etc., para o cérebro. O dano de um nervo causa freqüentemente fraqueza muscular (muitas vezes chegando a causar paralisia total), e pode causar anormalidades de sensação, inclusive dor, formigamento, sensação de “comichão na pele”, ou até desequilíbrio.

O que torna a síndrome de Guillain-Barré uma emergência médica é que a fraqueza pode afetar os músculos do tórax responsáveis pela respiração. Se eles são paralisados, o paciente pode morrer por falta de oxigênio. O paciente deve ser monitorado cuidadosamente; normalmente em um hospital, para ter certeza que a respiração e outras funções vitais são mantidas.

Ninguém sabe o que causa a síndrome de Guillain-Barré. Na maioria dos casos é uma desordem auto-imune na qual o sistema imunológico do corpo ataca e destrói a cobertura de mielina que envolve os nervos longos, muito semelhante ao isolamento ao redor de um fio de eletricidade. A Mielina protege o nervo e ajuda a acelerar a transmissão dos impulsos elétricos por ele. Se a mielina é destruída, os impulsos nervosos viajam muito lentamente e podem ser interrompidos. Se os músculos não são ativados, eles não funcionarão corretamente. Por esta razão as pessoas com a síndrome de Guillain-Barré experimentam fraqueza e paralisia de certos grupos musculares.

A Síndrome de Guillain-Barré é incomum, afetando menos que 4000 pessoas nos Estados Unidos a cada ano. Como a doença acomete somente algumas pessoas é um mistério. Em mais de dois-terços dos pacientes, a síndrome de Guillain-Barré ocorre três semanas após uma doença virótica, como um resfriado ou a gripe, ou após uma infecção bacteriana (particularmente a bactéria chamada Campylobacter jejuni que causa infecções intestinais). Alguns cientistas acreditam que o vírus causador pode afetar as células do sistema nervoso de forma que elas são atacadas pelo sistema imune do corpo. Alternativamente, o vírus pode sensibilizar partes do sistema imune de forma que isto ataca a mielina. Pesquisas das causas da síndrome de Guillain-Barré continuam.

Quadro Clínico

Os sintomas da síndrome de Guillain-Barré variam de pessoa para pessoa e podem ser moderados ou severos. Freqüentemente, o primeiro sintoma significativo que a pessoa com esta doença notará é a fraqueza, e freqüentemente ela é sentida em ambas as pernas. Com o passar do tempo, a fraqueza envolve os braços ou a cabeça, afetando os olhos, os movimentos da cabeça e a fala, depois de ter afetado as pernas em primeiro lugar.

Às vezes a fraqueza é precedida ou acompanhada por uma sensação de formigamento, freqüentemente nas partes mais baixas das pernas e pés. Além disso, cada grupo muscular afetado pode ter dor e/ou formigamento. A síndrome de Guillain-Barré pode prejudicar o controle da pressão sanguínea do corpo temporariamente, levando de forma perigosa à pressão baixa quando a pessoa se levanta depois ter se abaixado ou de ter se sentado (hipotensão postural).

A doença progride rapidamente, e a maioria dos pacientes atinge seu cume, com fraqueza das pernas, braços, tórax, e outros músculos por volta três semanas após o começo da doença. Em alguns casos, a fraqueza pode progredir muito rapidamente: A fraqueza que se inicia nas pernas pode progredir para completa paralisia das pernas, braços e músculos da respiração num curso de horas ou de muito poucos dias. Por isso, uma pessoa que desenvolve fraqueza súbita nas pernas ou braços deve entrar em contato com seu médico imediatamente.

A fraqueza pode durar dias, semanas ou meses antes que a reversão do quadro se devolva. O retorno da força semelhante à pré-doença e funcionamento é lento, às vezes dura meses ou anos. A maioria dos pacientes retorna ao normal dentro de meses.

Diagnóstico

A Síndrome de Guillain-Barré pode ser difícil de diagnosticar em suas fases mais precoces porque outras patologias podem ter sintomas semelhantes, e porque os sintomas exatos experimentados podem variar de paciente para outro.

O primeiro passo no diagnóstico da doença é colher uma história médica cuidadosa, entender o agrupamento dos sintomas experimentados pelo paciente por inteiro. Os pacientes com síndrome de Guillain-Barré terão um começo relativamente súbito de sintomas, e a fraqueza muscular normalmente acontecerá em ambos os lados do corpo (ao invés de só acontecer em um só lado como ocorre mais freqüentemente no derrame). Os reflexos estão anormalmente abolidos.

Podem ser feitos dois exames para ajudar no diagnóstico:

· Punção espinhal. Neste exame uma agulha é inserida na espinha bem abaixo das costas (região lombar) para tirar líqüor, o líquido que envolve o cérebro e a medula espinhal. A análise do fluido cérebro-espinhal revela níveis mais altos que o normal de proteína em pacientes com síndrome de Guillain-Barré.

· Eletromiografia (Exame de condução nervosa). Neste teste são colocados eletrodos na pele em cima do nervo a ser testado. Um impulso elétrico é alimentado por um eletrodo, e a velocidade de transmissão do estímulo é acelerada e medida pelos outros eletrodos. Como a síndrome de Guillain-Barré afeta o revestimento de mielina que cobre os nervos, os nervos afetados pela doença mostrarão sinais mais lentos que os nervos não afetados.

Prevenção

Como ninguém sabe o que causa da síndrome de Guillain-Barré, não há nenhuma maneira conhecida de se prevenir dela.

Tratamento

O tratamento da síndrome de Guillain-Barré envolve, em primeiro lugar, controlar a paralisia da respiração, se ela acontecer. A maioria dos pacientes com síndrome de Guillain-Barré é hospitalizada, porque a doença pode debilitar os músculos do tórax a tal ponto que a respiração torna-se difícil ou impossível. Em um hospital, os pacientes podem ser monitorados e serem postos em um respirador, se necessário. Se a síndrome de Guillain-Barré causa paralisia das pernas ou dos músculos dos braços, o paciente precisará de suporte para ajuda-lo com atividades diárias como comer e fazer sua higiene pessoal.

Há dois tratamentos que se mostraram eficientes em fazer acelerar a recuperação, e reduzir a severidade da síndrome de Guillain-Barré:

· A Plasmaferese na qual sangue é retirado do paciente, depois separado em seus componentes: plasma (a porção líquida de sangue) e células (hemáceas, leucócitos e plaquetas). As células do sangue são recolocadas então no corpo. O corpo fabrica mais plasma para compensar o que foi retirado.) Ninguém sabe como este tratamento funciona, mas a maioria dos cientistas acredita que a plasmaferese remove as substâncias do plasma (como anticorpos e complemento) que participam do ataque do sistema imune aos nervos periféricos.

· Infusões de imunoglobulina: As imunoglobulinas são uma mistura de anticorpos produzidos naturalmente pelo sistema imune do corpo. Doses altas de imunoglobulina podem trabalhar bloqueando os anticorpos que contribuem para a doença.

Corticosteróides, um tratamento usado antigamente, nunca deve ser usado para tratar a síndrome de Guillain-Barré, porque foi demonstrado que eles fazer a doença piorar.

Depois que a recuperação começa, os pacientes precisarão de fisioterapia motora e respiratória para lhes ajudar a recuperar a força e o próprio movimento.

Prognóstico

Embora a síndrome de Guillain-Barré seja uma desordem terrível, o prognóstico a longo prazo é geralmente bom. A maioria dos pacientes tem recuperação completa, embora possa levar meses, ou até mesmo anos, para recuperar a força e o movimento anteriores à doença. Aproximadamente 30 por cento dos pacientes ainda permanecem com um pouco de fraqueza até três anos após a melhora da doença. Só aproximadamente 3 por cento de pacientes têm um retorno da fraqueza e do formigamento anos depois. Uma porcentagem muito pequena de pacientes, aproximadamente 3 a 5 por cento, morre, quase sempre porque eles desenvolvem uma paralisia da respiração antes que eles cheguem ao hospital.

41 comentários:

  1. Adorei seu blog! Muito interessante! Virei seguidora!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Dr Rafael, meu nome é luiz Moraes, eu tive a sindrone de Guillain Barre aos 19 anos e hoje tenho 26, a unica sequela fisica que tenho é que meu rosto ficou levemente torno ( risos ).
    Gostaria de saber, que apesar de levar uma vida normal, e nunca mais ter ido a um médico após o 1º ano da doença e não tomar mais remédios, eu tenho uma falta de motivação pessoal de vez em quando e me sinto deprimido algumas vezes.
    E isso me incomoda por que atrapalha o meu trabalho e minha vida pessoal.
    Gostaria de saber se isso é conseguência da doença que eu tive.
    meu e-mail é: luizmoraes.rj@hotmail.com.

    Um abraço e estou a disposição para ajudar pessoas com a mesma sindrome, pois é muito bom se ter a esperança de que tudo pode ficar 99 % como era antes;

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, minha vó já fez punção e eletroneuromiografia e não deu nada que comprovasse a sindrome, mas os medicos nao descartaram as possibilidades. Ela está com todos os sintomas, e os medicos acham que pode ser, até porque todos os exames dela estão normais, apenas o sangue que está com poucas plaquetas. Você pode me dizer um pouco sobre o que você sabe. E como e aonde tratou ? Como se recuperou, e quanto tempo demorou? Agradeço desde já. Eu e minha família não sabemos mais o que fazer, estamos sem respostas e ela está sem tratamento.

      Excluir
  3. Dr Rafael sou Dimea da SILVA CHAGAS TENHO 58 ANOS TIVE ANO PASSADO SINDROME GUILLAN BARRÉ,RECUPEREI BEM PARTE MOTORA,TIVE PARALISIA FACIAL RECUPEREI OS MOVIMENTOS,MAS AINDA ESTOU TRAQUIOSTOMIZADA,SÓ ME ALIMENTO PELA SONDA,SERÁ VOU VOLTAR ME ALIMENTAR NORMAL COMO ERA ANTES.FIZ EXAME DEGLUTIÇÃO DEU FRAQUEZA MUSCULAR E PREGA NAS CORDAIS VOGAIS,FAÇO EXERCICIO COM A FONO E FISOTERAPEUTA.GOSTARIA DA SUA OPINIÃO.
    UM ABRAÇO.
    8 DE MAIO DE 2010.

    ResponderExcluir
  4. Dr. Rafael meu nome é Vanilda meu marido teve guillan barre a 3 anos atras. Teve uma recuperação relativamente boa, hoje sente apenas fraqueza muscular em algumas partes do corpo. Tenho uma duvida, ultimamente se ele come alguma coisa a mais do que o de costume ele sente muito mal. Será que pode ser consequencia desta sindrome? como por exemplo fraqueza muscular no sistema digestivo? se isso é possível. Responda por favor, meu e-mail é: nildaesousa@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  5. Bom Dia Dr. Rafael!
    Meu irmão (de 27 anos) está com suspeita da síndrome (os resultados dos exames ainda não saíram). Por favor, gostaria de algumas orientações, pois ele está com os pés, mãos e boca adormecidos há cinco dias. Pelo que encontrei em pesquisas na internet, parece que a doença evolui em um prazo de 15 dias, para estabilizar por um período e depois começar a apresentar melhoras.
    No hospital onde ele foi examinado, o médico que comentou sobre a suspeita da síndrome informou que após o diagnóstico, o tratamento pode ser feito com corticoide.
    Por favor, nos oriente, ou se puder indicar um material de confiança onde possamos obter informações sobre o tratamento e como saber o que fazer, pois é desesperador ver alguém que amamos assim e não saber como proceder. Por favor, meu e-mail é jupanza@hotmail.com
    Obrigada desde já!

    ResponderExcluir
  6. Boa tarde Dr.Rafael!
    Meu cunhado está com supeita dessa sindrome após ter feito varios exames e não dá nada.Falta ele fazer o de retirar o liquído da medula,por favor gostaria de algumas orientações.Pois ele está com as pernas adormecidas e não consegue urinar e defecar.
    por favor me responda estamos muito preocupados.
    Meu e-mail é rafaela-cb@hotmail.com.Agradeço desde já.

    ResponderExcluir
  7. Dr.Rafael Boa Noite, meu nome é juliana e meu esposo Fabiano tem 36 anos e está hospitalizado com a suspeita da Síndrome, estmos um pouco apavorados pois temos um bebê de 9 meses, e ele tem medo de após arecuperação não ter uma vida normal. Gostaria que entrasse em contato por emailfabianoejuju@hotmail.com

    ResponderExcluir
  8. Olá Dr. Rafael!
    Meu nome é Fernando Luiz, tenho 27 anos e moro em Itaituba Pará. Na verdade minha mãe está com essa doença "Síndrome de Guillain-Barré", isso ocorreu de uns 15 dias, ela tá internada no Hospital Regional de Santarém PA. Por favor, me ajuda a procurar soluções pra isso, onde eu consigo a medicação, como faço pra ela melhorar, o q tenho q fazer? Tenho q tirar ela desse hospital e ir pra onde? Onde é melhor o tratamento dessa doença? Tem tratamento pelo SUS? Dr. Por Favor, pesso-te de coração ajudas em relação o que eu citei e muito mais no que o Sr. poder me ajudar. Desde já agradeço sua compreensão de coração e até breve.
    Contatos: syborgboy@hotmail.com (9391450305 e 9381166451)

    ResponderExcluir
  9. Olá Dr.Rafael,parabéns pelo seu blog muito bom...
    Preciso de sua ajuda!!!Meu avô tem 62
    anos,está com a sindrome faz 6 meses foram feitos todos os exames e constatado.esta tomando varias medicaçoes..queria saber como funciona essa plasmaferese se pela idade dele da pra fazer.o mais perto pra nos aqui é Curitiba-pr,tem algum amigo seu referencia nessa area pra me indicarou q possa ver o caso,se tem tratamento pelo SUS.
    Se puder por favor me responda,senao desde ja agradeço uma pessoa como vc deve ser muito ocupada e se dispor a criar um blog a ajudar as pessoas é de um valor imenso...Deus te abençoe!!!

    ResponderExcluir
  10. é normal ter formigamentos..me tratei c imuno..estou fazendo fisio e me recuperando lentamente, estou caminhando um pouco melhor, mas estou tendo muitos formigamentos, dores nas panturrilhas..será que estou voltando a ter reação..to muito assustada..se alguém souber respoder, manda uma resposta p meu e-mail...
    bynanh@gmail.com

    ResponderExcluir
  11. Olá dr. Rafael Fontinelle, gostaria de dizer que eu amei o seu Blog.Ele tira varias duvidas de uma vez só e nos permite ir fundo em casos que geralmente nao são bem explicados para os 'leigos' no assunto. Parabens pelo seu trabalho..
    Deus te abençoe....e continue lhe dando sabedoria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. meu filho faleceu com essa doença em 1981 ninguém nunca me informou a causa so fiquei sabendo agora por causa da texnologia na época os médicos não soube me explicar

      Excluir
  12. Boa tarde Rafael!
    Gostaria de saber se o tratamento é custeado pelo SUS?
    psaydelles@hotmail.com

    ResponderExcluir
  13. Boa Tarde Dr. Rafael, gostaria de sabe se pessoa que ja teve essa sindrome, se essa sindrome pode volta? e se a pessoa pode ter uma vida normal? gostaria de maiores informação. pois tenho um caso na familia, por favor me ajude, de ja um grande abraço.
    alcikel@hotmail.com

    ResponderExcluir
  14. Bom dia Dr, meu nome é Ricardo e meu sobrinho de apenas 6 anos esta internado a 8 dias na UTI, com a sindrome de Guillain barre, e o caso dele esta dificil, paralisou braços, pernas, torax, só mexe pescoço e olhos, nao fala e respira por aparelhos. Li sobre a doença e vi que é pela diminuiçao da mielina, tem algum tratamento para aumentá-la, ja fizera 6 seçoes de plasmaferese e nao estou vendo evoluçoes, porfavor, nos de alguma dica, nao vi caso nenhum de criança dessa idade com essa doença, estamos desesperados. Grato
    veiculos.real@ig.com.br

    ResponderExcluir
  15. Olá Meu nome é Marcos
    Eu tbm tive Guillian Barre por duas vezes e em ambas cheguei ao fundo do poço, mas com a ajuda de Deus hoje não tenho sequela aparente.
    Que Deus continue iluminando seu caminho.
    Segue Meu Blog para contato:
    http://marckamorim.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  16. Olá Doutor Rafael, por gentileza gostaria de saber se você conhece algum especialista em SP que trata de Guillan Barré?

    ResponderExcluir
  17. Dr. Rafael, meu pai contraiu a SGB, entrou no hospital no dia 18/04/2011 e permanece até hoje na UTI, já tomou um ciclo de imunoglobulina, ele tem 65 anos é fumante teve TB aos 15 anos atrás, e por tudo isso acabou contraindo uma pneumonia, fazendo quadros de atelequitasia. hoje dia 09/05/2011 apresentou melhoras de força de evacuar, a retirada da noradrenalina, da sedação de fentanil e dornomid, mas os médicos falam que isso não é melhora pois o pulmão dele esta bem debilitado, esta fazendo longos seções de fisio, mas acaba brigando muito com a ventilação mecanica, esta tomando vancomicina e amipremicina, mas ainda apresenta quadros de febre, por favor Dr. me responda quais são as chances do meu pai, vc acha que se fizer um novo ciclo de imunoglobulina adianta, pois se ele for fazer a plasmaferese teremos que aguardar a admnistração do antibiotico, e dai temo ser tarde. por favor me responda, estamos em uma aflição muito grande, e sem saber como ajudar. teria algum especialista aqui em sp ?meu e-mail carlapaladini@hotmail.com

    ResponderExcluir
  18. Dr. Rafael!
    Sou profissional de Ed. Física e faço acompanhamento de um amigo que teve Síndrome de Guillain-Barré. Quando ele começou a fazer atividade física tinha muitas dificuldades motoras, mas hoje (após dois anos aproximadamente) já teve um bom desenvolvimento muscular, apresentando dificuldade apenas nos grupos musculares distais (pés e mãos). Gostaria se saber do sr. Se há possibilidade de voltar a normalidade esses grupos musculares.
    Francisco
    academia_olimpica@hotmail.com

    ResponderExcluir
  19. Olá meu nome é Orlando Fernandes tenho 38 anos e tive ou tenho a sindrome GB desde janeiro de 2010, após exato 01 ano na cadeira de rodas voltei a andar com ajuda de andador e muletas, meu tratamento foi feito pelo SUS aqui em Florianópolis'SC, faço fisioterapia e Hidroterapia todos os dias da semana, meu problema maior é em relação ao movimento dos pés. Não tem sido facil lidar com esta nova condição de vida, espero me recuperar totalmente.

    ResponderExcluir
  20. Rosimeri.B. de Faveri6 de junho de 2011 06:19

    Ola! D. Rafael, meu nome é Meri,minha irmã teve essa sindrome já fassem 6 anos, gostaria de sabe se ela pode desenvolver essa doença outra vez. Obriado!!

    )6-06-2011

    ResponderExcluir
  21. Bom dia Dr Rafael meu nome e Denis e minha irma tem 20 anos de idade e teve sindrome a 1 ano e 3 meses e já fez imoglobina 2 vezes e 1 plasmaferese, pois teve duas recaidas, após o tratamento ela diz ter muito dor.Isso é normal?
    Além disso não se faz necessário um acompanhamento psicologico devido ao estado em que a pessoa se encontra?No momento ela se encontra em tratamento.
    Meu email e denismeca3@ig.com.br,obrigado pela ajuda e abraço.

    ResponderExcluir
  22. Boa noite dr Rafael
    Tenho um amigo que está com suspeita dessa doença ele não consegue andar, sente muita fraqueza nas pernas e braços e tmbém muitas dores inclusive as unhas das mãos está muito sensivel ele não pode tocar isso é normal? Faz parte da doença? ele também perdeu muita massa muscular me dar uma resposta estou muito angustiada pois ele está sofrendo muito e ainda não começou o tratmento pq falta fazer alguns exames
    meu email é degafml@hotmail.com

    ResponderExcluir
  23. Meu pai esta na luta da Sindrome a dois anos, e não temos acertado médicos, vcs conhecem algum médico bom pra nos indicar?? grata,
    e-mail: lojaphoy@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  24. olá! dr Rafael pelo que li no seu blog suspeito que minha irmã tenha esta sindrome , ela teve por veses num curto intervalo de tempo paralisação nos braços e pernas e voltou ater movimentos depois de 3 á 4 horas depois também teve desordem na pressão sanguinea muito baixa e depois alta esta hospitalizada des de ontem ainda não foi feito nenhum ezame,que vc acha? pode ser esta sindrome?

    ResponderExcluir
  25. Olá a todos! Tenho 43 anos e, também tive GB após uma Dengue.
    Fiquei internado de Abril/2010 até Setembro/2010, fui medicado com imunoglobulina, sendo 2/5 na UTI e 2 meses no quarto Por 5 meses fui alimentado via sonda, fiz traquio, fiquei paralisado do pescoço para baixo, sendo que os braços voltaram qdo ainda estava no hospital. Desde que saí do hospital, faço fisio 2x ao dia (manhã/tarde) e, ainda não estou andando, tenho muita dor nos braços, baixa visão, mãos formigadas, hipersensibilidade a coisas geladas (sensação de queimação). Hoje estou ficando em pé com auxílio de ortesis, mas devido as dores e fraqueza nos braços está bastante difícil. Abaixo está meu e-mail para contato/troca de informações.
    marcos_rg_vieira@ig.com.br

    ResponderExcluir
  26. Oi Dr. Rafael, a minha mãe teve a doença há 6 meses e ela faz fisioterapia e fonoaudiologia nesse período todos os dias, só que as dores nas articulações e os inchaços são muito grandes, o neurologista que acompanha o caso dela receito um remédio chamado Lyrica, porém essas dores são constantes e a recuperação muito lenta, isso é normal? Tem algum período estimado para a recuperação total dos movimentos tendo em vista a recuperação dela boa? E as dores são devido a essa recuperação ou existe algum exame que ela possa fazer ou outro remédio que ela possa tomar?
    Aguardo seu contato, pois não aguento mais ver a minha mãe sentir mais dores e reclamar da demora da recuperação física dela.
    Obrigada, Juliana Rangel. O meu e-mail é: jrangelds@gmail.com

    ResponderExcluir
  27. bom dia,meu nome é nadja e tive guillambarre ano passado,ja recuperei minha força mais da metade,porem meu braço direito ainda tem, sequelas de fraqueza e nao aguento mais que 3 kg...sera que eu poderia fazer fisioterapia a essa altura?sai do hospital em setembro de 2011...meu email penelope_charmosa99_8@hotmail.com

    ResponderExcluir
  28. ola DR. Rafael tenho 28 anos e tive GB a 30 dias atraz, tive parada respiratoria e meu tratamento foi com emunoglobulina, e ja estou andando normalmente e com a coordenação motora perfeita, claro que perdi grande parte da minha musculatura e ainda não posso voltar a minha vida normal, mas o que queria saber é se existem outros casos como o meu?

    ResponderExcluir
  29. Boa noite Dr.Rafael,
    Envio essa mensagem, pois uns dias atras o meu cunhado, teve o diagnostico sindrome de lambarri. Li alguns artigos a respeito do assunto, e busquei tambem pela internet, um hospital que fosse especializado...hospital publico, pois o meu cunhado esta afastado do trabalho, e nao tem plano de saude. No hospital que se encontra agora internado(nao sei se esta recebendo tratamento para a doenca), nao queriam receber ele. Ele esta como num cti, porem, esta aguardando leito. Te escrevo porque minha irma, so chora todo tempo, esta total sem raciocinio. Bem, o que eu preciso e uma indicacao de hospital publico, para tentar uma internacao e comecar a tratar.
    Desculpa se nao coloquei muito clara as coisas.
    Isso e um pesadelo!!!
    Eu vou aguardar alguma mensagem sua, vou rezar para que vc conheca algum lugar...vou rezar para que Deus nos de uma luz....por favor me escreva!´POR FAVOR!

    ResponderExcluir
  30. Dr. Rafael, Qual o tempo mínimo para a recuperação da mielina? Quando ela ser recupera, as forças voltam, assim como foi?

    ResponderExcluir
  31. Christiane Cunha Leanza8 de janeiro de 2013 14:55

    Esta sindrome pode acontecer num idoso de 82 anos ,qual é o percentual de acontecer nesta idade???
    grata pela atenção

    ResponderExcluir
  32. tomei a vacina d gripe e comecei com os sintomas já nos primeiros dias.formigamento dos pes, e mãos.dor de cabeça...logo começou s dores nas panturrilhas. e câimbras nos braços e pernas..as vezes minha linga adormece mas devagar...já se passaram 42 dias após a vacina....pode piorar os sintomas,,,ou começa a melhorar a partir de agora??

    ResponderExcluir
  33. estou tendo todos os sintomas e não estão me dando atenção dizem que e normal sentir isso após a vacina estou mto mal a cada dia pioro oque faço..paulomarcelo201142@hotmail.com

    ResponderExcluir
  34. Olá Dr. Rafal, boa noite!
    Meu nome é Luíza tenho 19 anos, no dia 16 de abril deste ano tive minha primeira paralisia por causa da Síndrome, fiquei 13 dias sem o movimento das pernas, e 3 dias sem o movimento dos braços. A minha neurologista fez diversos exames mas todos davam normais, demorou muito para aparecer em algum exame. Hoje depois de alguns meses se a doença própriamente dita, ainda sinto muitas dores especificamente na coluna, e nas pernas. Gostaria de saber se há algum médico que seja especialista nesta doença, ou se é com o próprio neurologista.
    Aguardo sua resposta, e lhe agradeço há atenção deste já, muito obrigada!

    ResponderExcluir
  35. Minha Mae esta no hospital tomando imunoglobina. Sou de Piracicaba/sp. Gostaria de saber se existe um médico especialista em SP. KEYSERAMALHO@hotmail.com. Obrigada.

    ResponderExcluir
  36. Meu esposo esta a 12 dias na uti a ums 3 dias ele comesou a abrir parte dos olhos.Ja tem 17 dias hospitalizado tem 10 dias que ele terminou a himonoglobina a 6 dias descobrirão um edema celebral e os medicos diz que isso ocorreu por varios motivos.
    Não entemdemos muito mais estamos bem confiante.

    ResponderExcluir
  37. Dr. Rafael meu marido está com a Síndrome Guilliam Barre desde o dia 19 de Setembro.O médico tratou ele com imunoglobulina.Ele está com o rosto totalmente paralisado
    Só consegue falar com dificuldade graças a Deus comer .Não consegue rir e os olhos sempre abertos.Está fazendo fisioterapia mas não vejo resultado. Gostaria de saber porque depois de.dois meses ele.continua do mesmo jeito.Ele tem 66 anos.

    ResponderExcluir
  38. Dr. Rafael meu marido está com a Síndrome Guilliam Barre desde o dia 19 de Setembro.O médico tratou ele com imunoglobulina.Ele está com o rosto totalmente paralisado
    Só consegue falar com dificuldade graças a Deus comer .Não consegue rir e os olhos sempre abertos.Está fazendo fisioterapia mas não vejo resultado. Gostaria de saber porque depois de.dois meses ele.continua do mesmo jeito.Ele tem 66 anos.

    ResponderExcluir
  39. Reinaldo G. Aguilar8 de setembro de 2016 12:49

    Dr. Rafael, boa tarde! Minha mãe está num estado gravíssimo, mas por sorte na UTI da Santa Casa. Ela está paralisada da cintura para baixo e agora a musculatura respiratória, começa a se comprometer, ela está entubada e deve fazer uma traqueostomia em breve. Já se passaram mais de 20 dias e ainda não tem certeza do diagnóstico, dividindo opiniões entre Guillain e Paraneoplasia, pois parece-me que o tratamento é igual para ambos. Porque o resultado demora tanto para se ter a certeza? É muito caro? Qual a possibilidade de recuperação respiratória? Ela sempre esteve bem, é ativa, anda muito e tem atividades e tem 77 anos. Grato, Reinaldo Aguilar

    ResponderExcluir